Sobre uma Maker...

Foto tirada em frente ao FabLab Cibernarium, na inauguração em Março de 2016
Texto do post: 

 

O post de hoje é dedicado a uma técnica especial e que nos deixou recentemente. A fatalidade da vida a levou, tenho certeza que para um lugar melhor, mas como ela era uma pessoa alegre, não vamos tornar esta fatalidade triste, mas sim alegre.

Eu a conheci em uma oficina que estava ministrando no Fablab Galeria Olido e logo trouxe ela para o Fablab Casa da Memória - Itaquera e tive a grande surpresa dela se tornar uma técnica, entrou para o time e como ganhamos com isso.

A Iza era sempre sorriso, sempre alegre, sempre motivando a equipe e com mil idéias malucas na cabeça, o que a fazia uma maker nata, uma mulher com coração de menina e sorriso de uma criança! Sempre com suas idéias construindo projetos incriveis, a sensibilidade que hoje em dia é dificil de encontrar, a famosa "cervejinha" não sera mais a mesma sem ela.

Para os frequentadores do Fablab Galeria Olido ficará a lembrança de uma tecnica doidinha, para a equipe ficará a lembrança de uma pessoa feliz, carimática, alegre, positiva e para o mundo? Ah, este sim, sentirá saudades de uma pessoa incrivel!

 

Por Beatriz da Rocha.

 


 

No 7 de Setembro de 2016 a Rede FabLab Livre SP perdeu uma Maker, mas não era bem sobre isso que eu queria falar...

 

Em Março Iza entrou comigo no projeto, e com mais da metade dos técnicos que estão hoje aqui, mas ela não era uma pessoa que passava despercebida na sala, era daquelas pessoas criativas que vão unindo as outras em pról de construir alguma coisa única. "Uma pessoa doce que tomava café sem açucar" e ao mesmo tempo uma pessoa brava quando defendia algo/alguém. Ficou um buraco irreparável no lugar.

 

É até dificil escrever alguma coisa agora... não tem palavras que consigam traduzir. Quando pensamos nela lembramos de momentos alegres, daquilo que ela criava, lembramos das coisas que ela ensinou nesse pouco tempo (sim, parece que foi ontem).

 

Pra aqueles que a via uma vez ou duas no mês, pra aqueles que a via todos os dias, e para aqueles que nem sabiam que ela tinha um nome artístico é dificil acreditar em como as coisas aconteceram. Uma perda enorme pra todos nós, ainda sim somos muito gratos por ela ter passado por aqui.

 

 

Por Priscila Corrêa.

 


Mais lugares onde ela deixa saudade..:

 

Blog do Arquanjo - UOL

http://blogdoarcanjo.blogosfera.uol.com.br/2016/09/08/morre-aos-30-anos-...

 

SP Escola de Teatro

http://www.spescoladeteatro.org.br/noticias/ver.php?id=5419